Orientações

test

Orientações de Higiene Bucal

O que é uma boa higiene bucal?

          Hálito puro e sorriso saudável são o resultado de uma boa higiene bucal. Isto é, com uma higiene bucal adequada:

  • Seus dentes ficam limpos e livres de resíduos alimentares;
  • A gengiva não sangra nem dói durante a escovação e o uso do fio dental;
  • O mau hálito deixa de ser um problema permanente.

          Consulte o seu dentista caso as suas gengivas doam ou sangrem quando você escova os dentes ou usa fio dental, e principalmente se estiver experimentando um problema de mau hálito. Essas manifestações podem ser a indicação da existência de um problema mais grave.

          Seu dentista pode ensiná-lo a usar técnicas corretas de higiene bucal e indicar as áreas que exigem atenção extra durante a escovação e o uso do fio dental.

Como garantir uma boa higiene bucal?

          Uma boa higiene bucal é uma das medidas mais importantes que você pode adotar para manter de seus dentes e gengivas em ordem. Dentes saudáveis não só contribuem para que você tenha uma boa aparência, mas são também importantes para que você possa falar bem e mastigar corretamente os alimentos. Manter uma boca saudável é importante para o bem-estar geral das pessoas.

          Os cuidados diários preventivos, tais como uma boa escovação e o uso correto do fio dental, ajudam a evitar que os problemas dentários se tornem mais graves. Devemos ter em mente que a prevenção é a maneira mais econômica, menos dolorida e menos preocupante de se cuidar da saúde bucal e que ao se fazer prevenção estamos evitando o tratamento de problemas que se tornariam graves.

          Existem algumas medidas muito simples que cada um de nós pode tomar para diminuir significativamente o risco do desenvolvimento de cáries, gengivite e outros problemas bucais.

Essas medidas são:

  • Escovar bem os dentes no mínimo três vezes ao dia e usar fio dental diariamente.
  • Ingerir alimentos balanceados e evitar comer entre as principais refeições.
  • Usar produtos de higiene bucal, inclusive creme dental, que contenham flúor.
  • Usar enxagüante bucal com flúor, se seu dentista recomendar.
  • Garantir que as crianças abaixo de 12 anos tomem água potável fluoretada ou suplementos de flúor, se habitarem regiões onde não haja flúor na água.

Técnicas corretas de escovação:

  • Coloque a escova em um ângulo de 45 graus em relação à gengiva. Movimente a escova, afastando-a da gengiva.
  • Escove delicadamente as partes internas, externas e de mastigação de cada dente com movimentos curtos de trás para frente.
  • Com cuidado, escove a língua para remover bactérias e purificar o hálito.

Uso correto do fio dental:

  • Use aproximadamente 40 centímetros de fio, deixando um pedaço livre entre os dedos;
  • Siga, com cuidado, as curvas dos dentes;

Assegure-se de limpar além da linha da gengiva, mas não force demasiado o fio contra a gengiva.

 

O que é gengivite?

Gengivite - uma inflamação da gengiva - é o estágio inicial da doença da gengiva e a mais fácil de ser tratada. A causa direta da doença é a placa - uma película, grudenta  de bactérias que se forma, de maneira constante, nos dentes e na gengiva.

Se a placa não for removida pela escovação e uso de fio dental diários, ela produz toxinas (venenos) que irritam a mucosa da gengiva causando a gengivite(sangramento gengival). Neste estágio inicial da doença da gengiva, os danos podem ser revertidos, uma vez que o osso e o tecido conjuntivo que segura os dentes no lugar ainda não foram atingidos. Entretanto, se a gengivite não for tratada, ela pode evoluir para uma periodontite e causar danos permanentes aos dentes e ao tecido ósseo ao redor do dente.

Como sei que tenho gengivite?

Os sintomas clássicos da gengivite incluem gengivas vermelhas, inchadas e sensíveis que podem sangrar durante a escovação. Outro sintoma de doença é o recuo ou retração da gengiva, conferindo aos dentes uma aparência alongada. A doença da gengiva pode formar bolsas entre os dentes e a gengiva, onde se acumulam restos de comida e placa. Algumas pessoas têm mau hálito freqüente ou sentem gosto ruim na boca, mesmo se a doença não estiver em estágio avançado.

Como posso prevenir a gengivite?

Uma boa higiene bucal é essencial. A limpeza profissional também é extremamente importante, pois uma vez que a placa se acumula e endurece (ou torna-se tártaro), apenas o dentista pode removê-la.

Você pode prevenir a gengivite pela:

  • Correta escovação e uso apropriado do fio dental para remover placas e restos alimentares, e do controle do aparecimento de tártaro.
  • Alimentação correta para garantir nutrição adequada para o osso da mandíbula/maxilar e dos dentes.
  • Evitar cigarros e outras formas de tabaco.

Ir ao dentista regularmente.

O que é cárie?

          “Cárie” é uma outra forma de se denominar a deterioração do dente. A deterioração do dente é fortemente influenciada pelo estilo de vida do indivíduo – o que se come, como se cuida dos dentes, a presença de flúor na água ingerida e o flúor no creme dental. A hereditariedade também tem um papel importante na predisposição de seus dentes para se deteriorarem.

          Embora a cárie seja mais comum em crianças, adultos também estão sujeitos a ela. Os tipos de cárie incluem:

  • Cárie coronária – o tipo mais comum que ocorre tanto em criança como em adultos, a cárie coronária se localiza nas superfícies de mastigação ou entre os dentes.
  • Cárie radicular - à medida que envelhecemos, as gengivas se retraem, deixando partes da raiz do dente expostas. Como não existe esmalte cobrindo as raízes do dente, estas áreas expostas se deterioram facilmente.
  • Cárie recorrente - a deterioração pode ocorrer em volta das restaurações e coroas existentes. Isto porque estas áreas tendem a acumular placa, que acabam levando à deterioração.

          Os adultos estão especialmente sujeitos a apresentar cárie quando sofrem de xerostomia (boca seca), uma doença causada pela falta de saliva. A xerostomia pode ser decorrente de uma doença, de medicamentos, da radioterapia e da quimioterapia, e pode ser temporária (dias ou meses) ou permanente, dependendo de suas causas.

          A cárie constitui um sério problema. Se não for tratada, uma cárie pode destruir seu dente e matar os delicados nervos na sua parte central, o que pode resultar em um abscesso, uma área de infecção na ponta da raiz. Uma vez formado o abcesso, ele só pode ser tratado através do tratamento do canal, de cirurgia ou da extração do dente.

Como eu sei se estou com uma cárie?

          Apenas seu dentista pode dizer com certeza se você tem uma cárie. Isto porque a cárie se desenvolve embaixo da superfície do dente, onde você não pode vê-la. Quando você ingere alimentos que contenham carboidratos (açúcar e amido), estes carboidratos são digeridos pelas bactérias da placa, produzindo ácidos que corroem o interior do dente. Com o tempo, o esmalte do dente começa a fraturar por debaixo da superfície, enquanto a parte externa permanece intacta. Quando uma quantidade suficiente de esmalte sob a superfície já tiver sido destruída, a superfície se desmorona, expondo a cavidade de cárie.

          É maior a probabilidade da cárie se desenvolver em fóssulas e fissuras nas superfícies de mastigação dos dentes posteriores, nos espaços entre os dentes e próximo à linha da gengiva. Mas, independentemente de onde ocorre, a melhor maneira de identificá-la e tratá-la, antes que se torne séria, é visitando seu dentista regularmente.

Como posso ajudar a evitar a cárie?

  • Escove os dentes após as refeições, e use o fio dental diariamente, a fim de remover a placa bacteriana entre os dentes e sob a gengiva.
  • Faça avaliações regulares. O cuidado preventivo pode evitar que os problemas ocorram e que problemas menores se tornem sérios.
  • Adote uma dieta balanceada, com pouco açúcar e amido. Quando ingerir estes alimentos, procure comê-los durante a refeição, e não como um lanche, para minimizar o número de vezes que seus dentes são expostos ao ácido.
  • Utilize produtos dentários que contenham flúor, incluindo o creme dental.

          Certifique-se de que a água que suas crianças bebem contenha flúor. Se a água fornecida em sua localidade não contém flúor, seu dentista ou pediatra pode prescrever suplementos de flúor diários.

 

O que é ortodontia?

          Ortodontia  e Ortopedia Facial é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de ser mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente devido à doença cárie ou à doença periodontal. Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM (Articulação Temporo-Mandibular) e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.

          O tratamento ortodôntico  e/ou com Ortopedia Facial torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda.

          O especialista neste campo é chamado de Ortodontista. Os Ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.Para saber se seu dentista tem especialização em Ortodontia entre no site www.crors.gov.br  digite seu número de inscrição e verifique. Isso é muito importante para garantir que seu tratamento será conduzido por profissional  habilitado.

Como saber se preciso de um ortodontista?

          Apenas seu dentista ou ortodontista poderá determinar se você poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico. Com base em alguns instrumentos de diagnóstico (documentação ortodôntica) que incluem um histórico médico e dentário completo, um exame clínico, moldes de gesso de seus dentes e fotografias e radiografias especiais, o ortodontista ou dentista poderá decidir se a ortodontia é recomendável e desenvolver um plano de tratamento adequado para você.

Se você apresenta algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico:

  • Sobremordida, algumas vezes chamada de “dentes salientes” – acontece quando os dentes anteriores superiores se posicionam muito à frente da arcada inferior, costumam “esconder” mais de 1/3 dos incisivos inferiores.
  • Mordida cruzada anterior – uma aparência de “bulldog”, quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.
  • Mordida cruzada – ocorre quando a arcada superior não fica ligeiramente à frente da arcada inferior ao morder normalmente.
  • Mordida aberta – espaço entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam.
  • Desvio de linha mediana – ocorre quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.
  • Diastema – falhas, ou espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes ou dentes que não preenchem a boca.
  • Apinhamento – ocorre quando existem dentes demais para se acomodarem na arcada dentária pequena (“dentes tortos”).

Como funciona um tratamento ortodôntico eficaz?

          Diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como móveis, são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.

Adultos e aparelhos ortodônticos

          Como os aparelhos ortodônticos se tornaram menos volumosos e menos visíveis nos últimos anos, mais e mais adultos estão utilizando, por diversas razões. Alguns adultos querem corrigir problemas com seus dentes ou maxilares antes que eles causem danos maiores ou mais sérios. Outros querem melhorar a aparência, corrigindo problemas estéticos existentes há bastante tempo. Tenha sempre em mente que mesmo problemas "estéticos" podem causar danos reais com o passar do tempo. Dentes e maxilares que não estão alinhados adequadamente podem levar a desgaste prematuro, cárie dental avançada e doença gengival, necessitando dentaduras ou outras soluções reconstrutoras e até mesmo cirurgias mais extensas para corrigir problemas sérios.

          Novas técnicas, e o advento de aparelhos transparentes(estéticos) e menos perceptíveis, significam que adultos estão cada vez mais recorrendo aos aparelhos para corrigir:

  • Espaços entre os dentes (diastemas)
  • Dentes que se comprimem uns aos outros (apinhamento dental)
  • Dentes desalinhados
  • Sobremordidas
  • Mordidas abertas
  • Mordidas cruzadas
Como posso saber se o aparelho ortodôntico para adultos está indicado para mim?

          Se você imagina que pode se beneficiar com um aparelho ortodôntico, peça ao seu dentista para lhe recomendar um ortodontista - dentista especializado em tratar dentes que não estão alinhados adequadamente. O ortodontista irá examinar seus dentes e, talvez, solicitar uma documentação ortodôntica para estudar e planejar seu tratamento (esse processo é individual). Com base no que ele encontrar, um plano de tratamento será recomendado. Embora os aparelhos fixos sejam uma opção bastante comum para consertar dentes desalinhados, o ortodontista poderá lhe dizer se no seu caso seria melhor um aparelho removível, um aparelho extra-bucal ou ainda um outro tipo de dispositivo.